Canabidiol: o que é, o que sabemos e para que serve - OMG - OH MY GUIDA

Canabidiol: o que é, o que sabemos e para que serve

Considero que é uma bênção viver no século XXI, num país desenvolvido. Para quem tem uma patologia, é bom saber que temos ao nosso dispor uma panóplia de soluções para algo que é moroso, mas que sabemos que pode ser companhia para a vida toda. Desde a terapêutica convencional, à utilização de fármacos alternativos como o CBD, há sempre opções a ponderar.

Algumas das memórias mais remotas que tenho são as crises de enxaqueca. Lembro-me perfeitamente da aura e das dores insuportáveis que eram desvalorizadas. “É mais uma virose”, concluía-se vez após vez, quando vomitava na sequência de um episódio destes. Só aos 14 anos é que, após várias idas às urgências, tive o meu diagnóstico feito pelo Dr. António Levy Gomes – neuropediatra do Hospital de Santa Maria.

Não se esqueçam, quem vos poderá dar o melhor aconselhamento possível ou esclarecer eventuais dúvidas será sempre o profissional de saúde que vos acompanha – perguntem-lhe sempre, antes de experimentarem qualquer terapêutica ou suplemento.

Fiz n tratamentos, mesmo em adulta, e devo conhecer os medicamentos disponíveis para o controlo da dor de uma ponta à outra. Poderia apresentar-vos teses sobre os efeitos secundários de muitas destas substâncias, porque todas têm algum senão. Aquando da maternidade, as minhas crises diminuíram bastante em frequência e intensidade. Mas continuam cá! Agora, porém, recuso-me a voltar à terapêutica de antes: não posso aceitar a sonolência, o esquecimento, a fadiga as dores de estômago, as náuseas. Optei por experimentar óleo de canabidiol.

CBD – O que é

O CBD, ou canabidiol, é um dos princípios activos da planta canábis. Por si só, não tem efeitos psicotrópicos, uma vez que a componente estupefaciente da canábis é o THC (tetrahidrocanabinol). Pode ser encontrado sob a forma de óleos, soluções em spray, cremes e até gomas. Resumindo, canabidiol não é sinónimo de canábis, nem é um estupefaciente.

Tem-se mostrado muito eficaz nalgumas patologias (como a epilepsia) e casos de dor aguda e crónica, bem como estados de depressão e ansiedade.

Ainda não existem muitos estudos sobre o canabidiol, mas os que existem começam a trazer algumas certezas de que não há risco de dependência e/ou outros perigos para a saúde associados ao seu consumo.

Na dúvida, consultem o vosso profissional de saúde de referência!

Uso terapêutico

Li sobre o CBD em boa parte por causa das polémicas em torno da legalização do uso terapêutico dos derivados de canábis, e fiquei mais curiosa depois de ler uma entrevista com o Dr. António Levy, onde ele partilha da opinião de que se algo ajuda, deve ser ponderada a sua utilização – neste caso, em alguns quadros de epilepsia.

A lei portuguesa continua a ter muitas nuances e lacunas no que diz respeito ao canabidiol enquanto substância. Ainda não está bem clarificado o que será medicamento ou “medicamento não convencional”, ou suplemento. Muitos destes produtos não são “substâncias controladas”. Assim, não há como pedir uma prescrição ao médico, e menos ainda comprar numa farmácia – é possível encontrar óleo de CBD nalgumas ervanárias e parafarmácias. O facto é que até a OMS sugeriu que o CBD passasse a ser visto como uma substância com potencial uso terapêutico, e que contendo uma percentagem de THC (a componente estupefaciente da canábis) inferior a 0,2% saia mesmo das listas de substâncias controladas.

Antes de tomarem fármacos de qualquer espécie, ou optarem por algum tipo de tratamento, peçam sempre aconselhamento ao profissional de saúde que vos acompanha.

Caso pretendam experimentar, ou caso já sejam utilizadores e precisem de referências, diria para terem atenção ao local onde compram o vosso CBD. Verifiquem sempre se quem o fabrica e comercializa é de confiança. Graças à popularidade, muitas são as entidades que se aproveitam e comercializam maus produtos. Procurem a proveniência, os métodos de extracção e desconfiem de preços extremamente baixos.

O meu óleo vem da Naturicious, compra-se online e vem super bem embalado pelos correios. São impecáveis com qualquer questão que tenhamos, e os produtos são completamente livres de THC. Toda a documentação sobre os processos utilizados no fabrico dos produtos estão, inclusivamente, disponíveis para consulta directa no site. Oxalá possa, um dia, encontrá-lo à venda na farmácia.

A minha experiência

Fui céptica ao início, agora passo a vida a impingir o que considero ser um milagre na minha vida.

Se quiserem comprar óleo de CBD na Naturicious, apliquem o código “OMG” para terem 15% de desconto.

Experimentei a medo, uma vez que ainda não há estudos conclusivos sobre posologia. Optei pela versão de óleo canabidiol a 10% e orientei-me pela calculadora de dosagem da Naturicious para procurar qual seria a quantidade adequada às minhas dores. À primeira enxaqueca, perguntei-me por que é que não descobri este medicamento mais cedo! Nunca vi uma dor desaparecer tão rapidamente e sem ficar com outras indisposições como consequência de um anti-inflamatório ou opióide dos que antigamente seriam recurso para mim. Foram minutos, menos de meia hora.

Utilizo o óleo de forma sublingual, não sabe mal, e já pude experimentá-lo noutros tipos de dor: as cólicas menstruais melhoram significativamente e, quando aplicado na pele (mesmo em pouquíssima quantidade), tem sido eficaz no combate às dores musculares. Como a quantidade utilizada de cada vez é mínima, acaba por compensar o preço algo dispendioso e só dá pena que não possa tomar banho no óleo – mas aceito dicas de utilização de quem já estiver mais familiarizado com o canabidiol!

Só vos digo: apetece-me instalar uma cisterna de óleo CBD cá em casa. No demais, já sabem: antes de experimentarem qualquer tipo de terapêutica ou suplemento, consultem sempre o vosso profissional de saúde de referência.


Related Posts

Bálsamo Tigre

Estou louca com o tigre, louca, louca, louca… Não, este post não tem nada a ver com a Shakira, mas o Tigre é lindo e a Guida é louca por ele. O Bálsamo Tigre! Conhecem? Ainda no tempo do meu outro blogue, o Ego, andei […]

10 Vaidosices sem as quais já não vivo

Já lá dizia o velho que só sentimos falta daquilo que temos, e olhem que é bem verdade. E é por isso que acredito que vive mais feliz quem tem pouca coisa do que quem tem muito ao seu dispor. Porque com o poder de […]



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *